Infraestrutura Ágil

Soluções e métodos inteligentes para sua infra

Provisionando com Vagrant

| Comments

1. Provisioners

Após a introdução ao vagrant e uma rápida passagem pelo conceito de multi machines, vamos começar a entrar no provisionamento.

Como eu já disse a vocês, o vagrant tem suporte a diversos provisionadores, isto significa que você pode automatizar a instalação e configuração de sua VM, tornando isto parte do processo vagrant up.

O vagrant atualmente suporta os seguintes provisionadores

  • File
  • Shell
  • Ansible
  • CFEngine
  • Chef Solo
  • Chef Client
  • Docker
  • Puppet Apply
  • Puppet Agent
  • Salt

Eu vou abordar neste post o provisionamento shell.

1.1 Requisitos

É importante que você tenha executado os exemplos nos posts anteriores e criado o projeto lamp, este post é uma sequência e vai utilizar os arquivos e projetos criados anteriormente.

Entre no diretório do projeto lamp

cd ~/vagrant/projects/lamp

2. Shell Provisioner

O provisionamento shell pode ser feito de duas formas, a primeira é o chamado INLINE e a segunda EXTERNAL SCRIPT.

2.1 Shell INLINE

Vamos fazer um exemplo simples em que invoco os comandos abaixo

yum clean all
yum install tcpdump -y

Traduzindo para a sintaxe do vagrant ficaria assim

vm.provision :shell, :inline => "yum clean all;yum install tcpdump -y"

Agora vamos inserir no Vagrantfile do projeto ‘lamp’.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
# -*- mode: ruby -*-
# vi: set ft=ruby :

VAGRANTFILE_API_VERSION = "2"

Vagrant.configure(VAGRANTFILE_API_VERSION) do |config|

  # Apache
  config.vm.define "apache" do |apache|

    apache.vm.hostname = "apache.hacklab"
    apache.vm.box = "centos6x64"
    apache.vm.network "forwarded_port", guest: 80, host: 9090
    apache.vm.network "private_network", ip: "192.168.200.30"
    apache.vm.provision :shell, :inline => "yum clean all;yum install tcpdump -y"
    apache.vm.provider "virtualbox" do |v|
        v.customize [ "modifyvm", :id, "--cpus", "1" ]
        v.customize [ "modifyvm", :id, "--memory", "600" ]
    end

  end
  # End apache

  # Mysql
  config.vm.define "mysql" do |mysql|

    mysql.vm.hostname = "mysql.hacklab"
    mysql.vm.box = "centos6x64"
    mysql.vm.network "forwarded_port", guest: 3306, host: 9091
    mysql.vm.network "private_network", ip: "192.168.200.31"
    mysql.vm.provision :shell, :inline => "yum clean all;yum install tcpdump -y"
    mysql.vm.provider "virtualbox" do |y|
        y.customize [ "modifyvm", :id, "--cpus", "1" ]
        y.customize [ "modifyvm", :id, "--memory", "600" ]
    end

  end
  # End Mysql

end

Arquivo ajustado vamos fazer um teste em nosso ambiente, primeiro desligue as VMs

cd ~/vagrant/projects/lamp
vagrant halt

Verifique se as VMs desligaram

vagrant status

Acompanhe a saída

1
2
3
4
5
6
7
8
Current machine states:

apache                    poweroff (virtualbox)
mysql                     poweroff (virtualbox)

This environment represents multiple VMs. The VMs are all listed
above with their current state. For more information about a specific
VM, run `vagrant status NAME`.

Agora vamos religar e verificar se o provisionamento ocorreu.

vagrant up

Perceba que vamos receber as seguintes mensagens

1
2
3
4
==> apache: VM already provisioned. Run `vagrant provision` or use `--provision` to force it

==> mysql: VM already provisioned. Run `vagrant provision` or use `--provision` to force it
  

Essa mensagem diz que sua máquina já foi provisionada na primeira vez que rodamos vagrant up, é importante entender isto, o provisionamento só é executado quando a VM é criada, no momento do UP, depois o vagrant considera que a VM já foi devidamente provisionada.

Bom, caso queiramos executar novamente as tarefas de provisionamento, principalmente se elas foram adicionadas após o processo de criação da VM, teremos que ser mais explícitos, então vamos digitar

vagrant provision

Acompanhe a saída

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
==> apache: Running provisioner: shell...
    apache: Running: inline script
Loaded plugins: fastestmirror, security
Cleaning repos: base extras puppetlabs-deps puppetlabs-products updates
Cleaning up Everything
Cleaning up list of fastest mirrors
Loaded plugins: fastestmirror, security
Determining fastest mirrors
 * base: mirror.globo.com
 * extras: mirror.globo.com
 * updates: mirror.globo.com
Setting up Install Process
Package 14:tcpdump-4.0.0-3.20090921gitdf3cb4.2.el6.x86_64 already installed and latest version
Nothing to do
==> mysql: Running provisioner: shell...
    mysql: Running: inline script
Loaded plugins: fastestmirror, security
Cleaning repos: base extras puppetlabs-deps puppetlabs-products updates
Cleaning up Everything
Loaded plugins: fastestmirror, security
Determining fastest mirrors
 * base: mirror.globo.com
 * extras: mirror.globo.com
 * updates: mirror.globo.com
Setting up Install Process
Package 14:tcpdump-4.0.0-3.20090921gitdf3cb4.2.el6.x86_64 already installed and latest version
Nothing to do

Veja que o provisionamento foi realizado em ambas as VMs e o pacote solicitado já havia sido instalado corretamente, portanto, nada foi realizado.

Em relação a esse provisioner, sua criatividade é o limite, você pode intalar pacotes, criar usuários, arquivos, diretórios, links, alterar configurações, fazer um deploy de aplicações e até instalar sua ferramenta preferida de gerência de configurações ( puppet :).

Podemos usar constantes para colocar mais comandos no velho estilo EOF, veja o exemplo abaixo

1
2
3
4
5
6
7
8
9
$script = <<SCRIPT
echo "Estou provisionando via inline shell"
yum clean all
yum install tcpdump -y
SCRIPT

Vagrant.configure("2") do |config|
  config.vm.provision "shell", inline: $script
end

Essa forma também é bastante prática, porém seu Vagrantfile pode ficar um pouco poluído.

2.2 External Script

Para evitar poluição do Vagrantfile podemos construir scripts mais complexos do lado de fora em um arquivo externo.

crie o arquivo users.sh dentro do diretorio do projeto

cd ~/vagrant/projects/lamp
vim users.sh

Coloque o conteúdo abaixo

#!/bin/bash
useradd gutocarvalho

Agora vamos ver a sintaxe para uso do external script

apache.vm.provision :shell, :path => "users.sh"
mysql.vm.provision :shell, :path => "users.sh"

Veja como fica o arquivo completo

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
# -*- mode: ruby -*-

# vi: set ft=ruby :

VAGRANTFILE_API_VERSION = "2"

Vagrant.configure(VAGRANTFILE_API_VERSION) do |config|

  # Apache
  config.vm.define "apache" do |apache|

    apache.vm.hostname = "apache.hacklab"
    apache.vm.box = "centos6x64"
    apache.vm.network "forwarded_port", guest: 80, host: 9090
    apache.vm.network "private_network", ip: "192.168.200.30"
    apache.vm.provision :shell, :path => "users.sh"
    apache.vm.provider "virtualbox" do |v|
        v.customize [ "modifyvm", :id, "--cpus", "1" ]
        v.customize [ "modifyvm", :id, "--memory", "600" ]
    end

  end
  # End apache

  # Mysql
  config.vm.define "mysql" do |mysql|

    mysql.vm.hostname = "mysql.hacklab"
    mysql.vm.box = "centos6x64"
    mysql.vm.network "forwarded_port", guest: 3306, host: 9091
    mysql.vm.network "private_network", ip: "192.168.200.31
    mysql.vm.provision :shell, :path => "users.sh"
    mysql.vm.provider "virtualbox" do |y|
        y.customize [ "modifyvm", :id, "--cpus", "1" ]
        y.customize [ "modifyvm", :id, "--memory", "600" ]
    end

  end
  # End Mysql

end

E agora vamos rodar o provisionamento

vagrant provision

Acompanhe a saída

1
2
3
4
==> apache: Running provisioner: shell...
    apache: Running: /var/folders/ty/7b7lzgzd5wl_4hgncfgctf3r0000gn/T/vagrant-shell20140513-61540-1tolxu9
==> mysql: Running provisioner: shell...
    mysql: Running: /var/folders/ty/7b7lzgzd5wl_4hgncfgctf3r0000gn/T/vagrant-shell20140513-61540-jmxaov

O provisionamento aconteceu, agora vamos verificar se o usuário foi criado em ambas VMs.

1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
[kaiten@gutocarvalho lamp]$ vagrant ssh apache
Last login: Tue May 13 04:16:37 2014 from 10.0.2.2
Welcome to your Packer-built virtual machine.
[vagrant@apache ~]$ id gutocarvalho
uid=501(gutocarvalho) gid=501(gutocarvalho) grupos=501(gutocarvalho)
[vagrant@apache ~]$ exit
logout
Connection to 127.0.0.1 closed.

[kaiten@gutocarvalho lamp]$ vagrant ssh mysql
Last login: Tue May 13 04:28:22 2014 from 10.0.2.2
Welcome to your Packer-built virtual machine.
[vagrant@mysql ~]$ id gutocarvalho
uid=501(gutocarvalho) gid=501(gutocarvalho) grupos=501(gutocarvalho)
[vagrant@mysql ~]$ exit
logout
Connection to 127.0.0.1 closed.

O usuário foi criado nas duas VMs.

Um dica rápida, é possível utilizar um arquivo remoto como external script, veja o exemplo abaixo

1
2
3
Vagrant.configure("2") do |config|
  config.vm.provision "shell", path: "https://example.com/provisioner.sh"
end

6. Conclusão

O uso de provisionadores facilita a vida do sysadmin, o vasto suporte a diferentes tipos de provisionadores atende amplamente as mais diferentes modalidades de gerência de configurações, é um resurso imprescindível e deve ser utilizado para extrairmos o máximo do vagrant.

O próximo post será sobre o provisionador Puppet Apply, até lá ;)

7. Referências

https://docs.vagrantup.com/v2/provisioning/shell.html

Comments