Guto Carvalho # 2021-11-17 @ BSB
Guto Carvalho # 2021-11-17 @ BSB

Reflexões 4.0

by

As vezes me sinto velho e cansado, e tudo bem!

As vezes eu falo que eu me sinto velho, cansado e ouço as pessoas falando:

- Poxa, você só tem 40, é muito novo, relaxa man!

Sim, ter quarenta anos não é muito, a expectativa de vida hoje está na casa dos 76 anos no Brasil – segundo o IBGE.

Então tem muito chão, estamos – se tivermos sorte – no meio do caminho.

Mas as vezes eu paro para pensar, será mesmo tão simples?

Será que eu não devo respeitar as cicatrizes e as experiências que eu conquistei e acumulei até agora?

Será que eu não posso dizer que estou cansando, física e mentalmente pq ainda sou novo na visão de alguns?

Do ponto de vista da idade e da expectativa de vida, talvez possa parecer pouco, mas creio que do ponto de vista da vida e do tempo – em si – já é bastante.

Ter quarenta anos pode não pesar para alguns, mas pode pesar para outros – e temos que respeitar isso, e até celebrar, pois chegamos até aqui.

O  número em si, ou quantidade de dias passados – cerca de 14 mil dias regulares e recorrentes, não é o mais relevante.  O relevante são os aprendizados acumulados e a responsabilidade que você carrega consigo.

Algumas pessoas são solteiras, concursadas, com vida financeira estável, com famílias estáveis, em que todos gozam de certa saúde, relativo conforto e até raros privilégios. Outros no entanto, podem estar lutando para estar aqui desde o dia zero, e quarenta anos minha gente, quarenta anos é um número a se respeitar e celebrar.

Acredite, muitos ficaram no caminho e muitos ainda vão ficar.

A responsabilidade de prover, educar e criar filhos, de sustentar a si mesmo e a eles, a certeza de que em breve seus pais – ou quem depende de você – vão também se tornar de certa forma seus filhos, é uma responsabilidade e tanto. E lidar com isso nunca será fácil, mas será preciso.

A coisa boa de cuidar dos pais ou dependentes, é que você vai poder retribuir todo o amor e a dedicação que tiveram contigo, e eles se sentirão acolhidos, certamente.

É um ciclo variável em alguns aspectos e constante em outros. Se você não tem filhos que dependem de você, você certamente tem outras pessoas em volta que dependem. E não adianta fingir que isso não pesa, isso pesa sim. Mas também é muito natural e importante e faz parte da nossa vida em sociedade.

Isso – inclusive – nos nos mantém firmes e nos dá propósito.

É o que nos faz acordar todos os dias de manhã e sair da cama.

É o que nos faz chorar, rir, gritar e celebrar quando todos completam mais um ano vivos e juntos :')

Alguém com quarenta pode ter 20 ou 25 anos de trabalho no currículo, pode ter passado por diversas empresas, áreas, projetos e certamente por muitos sufocos.

Então veja, não importa se você limpou fossas ou lançou foguetes, todos construímos experiências em torno de nossas vivências, e isso ninguém nos tira.

Claro que existem pessoas com quarenta anos que ainda moram com os pais – pela razões erradas – , que não sabem lavar louça, roupa ou cozinhar e nem mesmo trabalham, mas esse não é o foco desse post.

Esse post foca nos guerreiros e nas guerreiras que diariamente vão para as trincheiras da vida, e vão sabendo que vão levar porrada, bomba e tiro, e que ainda sim precisam levantar, bater o ponto e respirar fundo para estarem prontas e prontos para as trincheiras do outro dia.

E pensa o seguinte, 30, 40, 50 anos atrás, nossos parentes não faziam 1/10 do que fazemos hoje. A gente tá sendo engolido pela velocidade da sociedade da informação. Com quarenta anos certamente já absorvemos 3 ou 4 vezes mais informações que a geração dos nossos avós e bisavós na totalidade de suas vidas somadas.

E acredito que o impacto que isso causa no corpo e na mente tem um custo altíssimo.

Hoje vivemos mais tempo, mas quebramos bem antes, basta ver as pandemias silenciosas que assolam nosso mundo hoje.

A OMS disse em 2020 que mais de 300 milhões de pessoas no mundo sofrem algum tipo de depressão e transtorno, e mais de 800 mil que sofrem com isso enceraram suas vidas todo ano. E essa silenciosa e dolorosa pandemia mata mais pessoas de 15 a 29 anos.

Então se você tem 40, celebre!

Se permita sentir esse milestone

Se permita respeitar suas experiências adquiridas

Se permita sentir o tempo de vida que alcançou e se respeitar.

Se você acha que está velho, tudo bem.

Se se acha novo, tudo bem também, melhor ainda.

Só lembre-se de respeitar tudo o que você adquiriu, afinal, isso tem muito valor.

O importante é entender que independente do que você esteja sentindo, sinta pelo menos que a vida vale a pena!

[s]